Tristeza Parasitária Bovina: O que é essa doença tão comum que acomete o gado?

Tristeza Parasitária Bovina

A tristeza parasitária bovina, é uma doença transmitida por carrapatos que afeta o gado bovino em muitas partes do mundo, por meio da infecção isolada ou associada por protozoários do gênero Babesia e Trypanosoma e por bactérias do gênero Anaplasma e Ehrlichia. Esta condição resulta em sintomas graves e, em alguns casos, até mesmo a morte do bovino. Neste guia completo, exploraremos em detalhes o que é a tristeza parasitária bovina, seus tipos, sintomas, diagnóstico e opções de tratamento.

O que é Tristeza Parasitária Bovina?

A tristeza parasitária bovina é uma doença hemoparasitária (parasitas no sangue) que afeta principalmente o gado bovino. É transmitida pela picada de carrapatos (Rhipicephalus microplus) infectado por diversos agentes: Babesia bovis, Babesia bigemina, Anaplasma marginale, Ehrlichia bovis e Trypanosoma spp.

Uma vez dentro do hospedeiro, os protozoários do gênero Babesia e a bactéria da espécie Anaplasma marginale, invadem os glóbulos vermelhos, resultando em anemia hemolítica e danos aos órgãos vitais.

Tipos de Tristeza Parasitária Bovina:

Babesiose bovina:

Existem várias espécies de Babesia que podem afetar o gado bovino em diferentes regiões do mundo. No Brasil, os tipos mais comuns incluem Babesia bovis e Babesia bigemina.

Animais doentes por babesiose, podem apresentar uma característica incomum dos demais agentes causadores da Tristeza Parasitária Bovina, que é a urina cor de “coca-cola”, enegrecida devido a hemoglobinúria (lesão intensa dos glóbulos vermelhos) causada principalmente pela espécie Babesia bigemina.

Em contrapartida, a Babesia bovis ocasiona sintomas neurológicos, pois o animal que falece por causa dessa doença, é possível visualizar o cérebro de cor de “cereja” devido aos manguitos perivasculares (vasos ingurgitados do cérebro que estão cheios de protozoários).

Qualquer uma dessas formas são bem graves e sem o diagnóstico e tratamentos corretos, o animal pode vir à óbito em poucos dias.

Anaplasmose bovina:

É a forma mais comum de Tristeza Parasitária Bovina, visto que não somente é transmitida por carrapatos, mas também por moscas hematófagas e fômites (agulhas contaminadas). Essa espécie de bactéria provoca anemia pois também parasitam as hemácias (glóbulos vermelhos). A anemia e icterícia são sinais clínicos marcantes dessa enfermidade.

Erliquiose bovina:

Recentemente diagnosticada no Brasil, é uma forma que poucos conhecem da Tristeza Parasitária Bovina, essa bactéria provoca sintomas semelhantes aos da Erliquiose canina e também é transmitida por carrapatos de diversos gêneros como o Rhipicephalus microplus, Amblyomma spp. e Ixodes spp.. O bovino também apresenta sintomas semelhantes aos demais agentes das Tristeza Parasitária Bovina, mas podendo apresentar sangramentos, como nas fossas nasais (epistaxe).

Tripanossomose bovina:

Esse protozoário, da espécie Trypanosoma vivax está muito presente nos rebanhos bovinos do Brasil, mas poucos associam como agente da Tristeza Parasitária Bovina. Como é uma hemoparasitose, possui sintomas semelhantes aos demais e transmitido por vetores moscas hematófagas, pode ser considerado como Tristeza Parasitária Bovina. Embora os casos sejam raros de tripanossomose bovina, a maior parte do rebanho possui anticorpos contra esses parasitas, pois ele é menos patogênico no Brasil do que as outras espécies de tripanossomos africanos.

Sintomas da Tristeza Parasitária Bovina:

  1. Febre alta
  2. Fraqueza e letargia
  3. Palidez das mucosas
  4. Diminuição do apetite
  5. Produção de leite reduzida
  6. Problemas reprodutivos como abortos
  7. Hemoglobinúria (urina escura devido à presença de sangue)
  8. Icterícia (coloração amarelada das mucosas e pele)

Diagnóstico da Tristeza Parasitária Bovina:

O diagnóstico da tristeza parasitária bovina geralmente é realizado com base nos sintomas clínicos apresentados pelo animal, juntamente com exames laboratoriais para identificar os agentes causadores. Testes de esfregaço sanguíneo, Teste de Woo, PCR (reação em cadeia da polimerase) e ELISA (ensaio imunoenzimático) podem ser utilizados.

Tratamento da Tristeza Parasitária Bovina:

O tratamento da tristeza parasitária bovina depende do agente que está acometendo o animal, por isso os exames diferenciais são de extrema importância para reduzir os gastos e tratamentos desnecessários. Geralmente envolve o uso de medicamentos antiprotozoários, antibióticos e vitaminas, dependendo do causador. Além disso, é importante fornecer suporte de terapia intensiva, como fluidoterapia e vitaminas para corrigir a desidratação e a anemia, além de transfusões sanguíneas, se necessário. A estratégia do controle de carrapatos e moscas é o mais importante e também é fundamental para prevenir futuras infestações e reinfecções.

A tristeza parasitária bovina é uma doença séria que pode ter impactos significativos na produção e na saúde do gado bovino. A compreensão dos tipos, sintomas, diagnóstico e opções de tratamento é essencial para os pecuaristas e profissionais de saúde animal. Além disso, medidas preventivas, como o controle de carrapatos e a implementação de práticas de manejo adequadas, são fundamentais para reduzir o risco de aparecimento da doença e proteger o rebanho. Com cuidados adequados e intervenção oportuna, é possível minimizar os danos causados pela tristeza parasitária bovina e manter a saúde e o bem-estar dos bovinos.

Autor(a) deste post:

Compartilhe este post

Artigos Recentes:

Você também pode gostar de: