Salmonelose Aviária: Saiba tudo sobre essa doença que acomete Aves

Salmonelose Aviária | Labmol Vet Laboratório Veterinário

A Salmonelose Aviária se refere a doenças agudas ou crônicas em aves, causadas por bactérias do gênero Salmonella spp., dividido em duas espécies: S. enterica e S.bongori.

Dentro da espécie enterica subsp. enterica os sorovares mais importantes são: S. pullorum, S. gallinarum e S. enteritidis.

Epidemiologia:

A Salmonelose é uma das doenças de notificação obrigatória presente no Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA), por causar prejuízos ao mercado e a produção avícola, podendo também acometer humanos.

As Salmoneloses aviárias podem se apresentar de três formas e as de maior importância na avicultura são: a Pulorose e o Tifo Aviário.

  • Pulorose: Salmonella pullorum;
  • Tifo aviário: Salmonella gallinarum;
  • Paratifo: Outras salmonelas (S. enteritidis, S. typhimurium).

Transmissão:

  • Vertical (transovariana);
  • Vertical extragenital (durante a postura dos ovos, cloaca contaminada);
  • Nascimento (contato do pintinho com a casca do ovo contaminada);
  • Horizontal (contato com aves infectadas: inalação da bactéria, via oral – água e ração contaminada, cloaca, fezes, conjuntiva ocular);
  • Ambiente contaminado (cama, equipamentos, caminhões, caixas, fômites);
  • Carreadores (moscas, roedores, pássaros e seres humanos).

Sintomas:

Pulorose: Acometimento maior de aves jovens. Conhecida como “Diarreia branca dos pintos”.

  • Sonolência, fraqueza, apatia, perda de apetite, diarreia branca, morte.

Tifo aviário: Doença generalizada, acometimento severo. Prostração, dispneia, fraqueza, anorexia, diarreia amarelo-esverdeada ou bege, anemia.

  • Aves jovens: Infecção sistêmica, alta mortalidade ao nascimento, pintinhos fracos, perda de apetite, diarreia.
  • Aves adultas: Septicemia e morte súbita (muito comum), apatia, “cristas e pernas arroxeadas”, fezes esverdeadas, infertilidade.

Paratifo aviário: Geralmente não apresentam sinais clínicos. Apatia, penas arrepiadas, asas caídas, diarreia, cegueira, claudicação, morte embrionária ou ao nascimento (menos comum).

Diagnóstico:

Clínico, com base na anamnese, sinais clínicos, histórico, necrópsia e exames complementares.

Exames: Histopatologia, Isolamento bacteriano e Identificação bioquímica, Sorologia e Biologia molecular (PCR).

Tratamento:

Deve-se consultar um Médico veterinário, para avaliação. O tratamento à base de antibioticoterapia é recomendado apenas para aves domésticas e ameaçadas de extinção. E para aves de postura e produção de carne, estas devem ser separadas e descartadas.

Prevenção da Salmonelose Aviária:

  • Retirar aves portadoras do plantel;
  • Controle de Pragas (insetos, roedores); evitar entrada no plantel e contato com pássaros de vida livre e animais domésticos;
  • Controle da entrada de pessoas e veículos;
  • Manejo higiênico-sanitário, desinfecção (ambiente e equipamentos);
  • Higiene pessoal dos funcionários (plantel);
  • Registro zootécnico;
  • Cuidados com dejetos e resíduos da produção;
  • Destino adequado para aves mortas: incineração, compostagem, autoclavagem, biodigestores e enterramento;
  • Vacina contra Salmonella enteritidis (obrigatória em aves de postura de ovos para consumo humano).

Autor(a) deste post:

Compartilhe este post

Artigos Recentes:

Você também pode gostar de: