Mieloencefalite Protozoária Equina (MPE): Análise da Doença, Sintomas e Medidas Preventivas

Mieloencefalite Protozoária Equina

A Mieloencefalite Protozoária Equina é uma doença causada por protozoários, acomete o sistema nervoso central (SNC) e medula espinhal causando uma infecção. O principal agente etiológico é o Sarcocystis neurona e os equinos são hospedeiros intermediários acidentais.

Epidemiologia:

Acomete equinos e asininos nas Américas, principalmente na América do Sul (Brasil e Argentina). E o maior percentual ocorre em cavalos com até 4 anos de idade, não existindo predileção quanto ao sexo ou raça.

Os fatores de risco se relacionam com área geográfica de ocorrência do hospedeiro definitivo (gambá: Didelphis virginiana e Didelphis albiventris), idade, estresse, imunossupressão e fatores sazonais (ambiente viável para o esporocisto).

Transmissão:

Ingestão de fezes contendo oocistos do hospedeiro definitivo (gambá – Didelphis spp.).

Sintomas:

Variam de agudo a crônico, com sinais focais ou multifocais de doença neurológica envolvendo o cérebro, tronco encefálico ou medula espinhal.

  • Perda de peso, claudicação, ataxia e paresia dos membros, atrofia muscular; depressão, desvio de cabeça, paralisia facial e dificuldades de deglutição; áreas de hiporreflexia, hipoalgesia ou completa perda sensorial.

Obs.: Os sinais variam pela capacidade do parasita em infectar substâncias branca e cinzenta em múltiplos locais no SNC.

Diagnóstico:

Clínico, com base na anamnese, sinais clínicos, localização anatômica da lesão, histórico e exames complementares.

Exames: Histopatológico Parasitológico, Sorológico (Western Blot, IFI, IHQ) e Biologia molecular (PCR).

Tratamento da Mieloencefalite Protozoária Equina:

Deve-se consultar um Médico veterinário, para solicitação de exames, avaliação do paciente e instituição da melhor conduta clínica. O tratamento é de combate ao parasita, suporte para restabelecimento do animal e controle dos sintomas neurológicos. Uma vez acometido pela doença neurológica, o prognóstico é reservado.

Obs.: Deve ser realizado o mais rápido possível. Muitos equinos continuam com resultados positivos por vários meses após a morte do protozoário, se os sinais persistirem, a terapia deve ser reavaliada.

Prevenção:

  • Evitar estresse e imunossupressão;
  • Fornecer água potável aos animais;
  • Piquetes para equinos;

Obs.: Ainda não existe vacina eficiente contra MPE.

Autor(a) deste post:

Compartilhe este post

Artigos Recentes:

Você também pode gostar de: