Esporotricose: entenda os sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção

Esporotricose Labmol Vet

A Esporotricose é uma doença crônica ou micose subcutânea que afeta tanto animais quanto humanos. É causada por um fungo do gênero Sporothrix spp. e pode ser transmitida pelo contato do fungo com a pele ou mucosa, por meio de feridas ou lesões causadas por espinhos, cascas de árvore, madeira, vegetais em decomposição e arranhadura ou mordedura de animais doentes (geralmente felinos).

Epidemiologia

Regiões tropicais e sub-tropicais tem maior incidência, pela umidade aliada à altas temperaturas. Os gatos são os mais suscetíveis à infecção, com evolução da doença de forma mais grave do que nas outras espécies.

Sintomas da Esporotricose

A Esporotricose apresenta diversos sintomas em animais e humanos, sendo os mais comuns os seguintes:

  • Cutânea: Lesões nodulares avermelhadas na pele, no animal afeta cabeça e extremidades das patas e no humano mãos e braços.
  • Linfática: Úlceras na camada mais profunda da pele, infecção atinge o sistema linfático (aumento de gânglios).
  • Extra cutânea: Doença se espalha para ossos, mucosas, entre outros, sem comprometimento da pele.
  • Disseminada: Se dissemina para outros locais do organismo, com comprometimento de vários órgãos e/ou sistemas (articulações, pulmão, ossos, fígado).
Esporotricose Labmol Vet

Diagnóstico

O diagnóstico é clínico, com base na anamnese, sintomas, epidemiologia e exames complementares. É necessária a coleta de biópsia ou aspirado de lesões, escarro, sangue, líquido sinovial, líquor, e a realização de citologia, cultura, sorologia e PCR.

Tratamento

O tratamento da Esporotricose deve ser feito por um Médico Veterinário (animais) ou Médico (humano). É importante combater o fungo e tratar os sintomas da doença, de acordo com cada caso.

Prevenção

Algumas medidas podem ser tomadas para prevenir a Esporotricose, como adoção de medidas higiênico sanitárias, isolamento de animais ou pessoas doentes até a total cura clínica, uso de luvas e outros EPIs, higienização das mãos com solução antisséptica degermante (PVP-iodo ou clorexidina), lavagem exaustiva do local com água ou solução fisiológica (em mucosas), limpeza diária com água e sabão e desinfecção do ambiente e objetos contaminados com hipoclorito de sódio. Animais mortos devem ser encaminhados a um centro veterinário para incineração.

Fique atento aos sintomas e, em caso de dúvida, procure um médico ou médico veterinário para um diagnóstico e tratamento adequados. A prevenção é sempre a melhor opção para evitar doenças como a Esporotricose.

Autor(a) deste post:

Compartilhe este post

Artigos Recentes:

Você também pode gostar de: