Diarreia Viral Bovina (BVD): Conheça mais sobre a doença que pode afetar rebanhos inteiros

Diarreia Viral Bovina

A diarreia viral bovina, ou BVD, é uma doença viral que afeta bovinos e é causada por um RNA vírus da família Flaviviridae, gênero Pestivírus. A principal característica dessa doença é a capacidade de induzir infecção fetal persistente, gerando animais persistentemente infectados (PI).

Epidemiologia

A BVD é endêmica no Brasil e amplamente disseminada no rebanho bovino. Embora possa acometer todas as idades, em geral ocorre entre 6 e 24 meses. A doença pode afetar a maioria dos biungulados, mas os bovinos são os hospedeiros primários.

Transmissão

A porta de entrada da BVD é a via oronasal. A doença pode ser transmitida via horizontal, por meio do contato com secreções e excreções de bovinos PI e ruminantes infectados, picada de insetos, sêmen e embriões contaminados e fômites. A transmissão vertical também é possível, ocorrendo via transplacentária no 1º trimestre de gestação, principalmente pelo biótipo não-citopatogênico que gera animais PI, e por meio da amamentação, com leite contaminado.

Sintomas da Diarreia Viral Bovina

Os sintomas da BVD variam conforme a fase da doença. Na fase aguda, os sintomas incluem febre, anorexia, queda na produção leiteira, diarreia aquosa, lesão gastrointestinal, tegumentar e sistema respiratório, depressão e morte. Na fase crônica, os sintomas incluem anorexia, apatia, diarreia, timpanismo, corrimento nasal e ocular, alopecia e hiper queratinização. Além disso, a doença pode gerar falhas reprodutivas, abortos, mumificação fetal, morte embrionária, nascimentos de bezerros fracos e inviáveis e animais PI.

Diagnóstico

O diagnóstico da BVD é clínico, com base na anamnese, sinais clínicos, histórico e exames complementares. Os exames incluem sorológicos e biologia molecular (RT-PCR).

Tratamento para a BVD

Não existe cura para a BVD e os animais infectados se tornam portadores por toda a vida. No entanto, é possível prevenir infecções secundárias por meio da consulta a um médico veterinário para o diagnóstico adequado e da implementação de medidas de biossegurança. O prognóstico da doença é reservado a desfavorável pela evolução rápida e alta mortalidade. Como a doença é altamente contagiosa e pode ser assintomática, opta-se pela remoção de animais positivos do rebanho.

Prevenção

A prevenção da BVD pode ser feita por meio da vacinação, detecção de animais PI e eliminação desses, implementação de programas de biossegurança e limpeza e desinfecção do ambiente. O vírus é susceptível a solventes e detergentes, o que facilita a desinfecção do ambiente.

Em resumo, a BVD é uma doença grave que pode causar grandes prejuízos na produção bovina. A prevenção por meio da vacinação e da implementação de medidas de biossegurança é essencial para manter a saúde do rebanho. É importante que os produtores consultem um médico veterinário para um diagnóstico adequado e medidas preventivas eficazes.

Autor(a) deste post:

Compartilhe este post

Artigos Recentes:

Você também pode gostar de: